O que acontece nos dias e semanas que sucedem a postectomia (circuncisão) é de extrema importância: confira neste artigo 7 dicas indispensáveis para que o seu resultado final seja o melhor possível.

As informações a seguir são genéricas e podem não se aplicar ao seu caso específico - em caso de dúvidas, não deixe de se consultar com seu médico.


1. Curativo

O curativo com o qual você vai sair da sala cirúrgica provavelmente vai estar bem apertado. Isso serve a dois propósitos: proteger a ferida e conter o inchaço.

Normalmente, espera-se pelo menos 24 horas e no máximo 3 dias para a retirada do primeiro curativo. O intervalo ideal é um equilíbrio entre: manter a compressão pelo maior tempo praticável, e trocar a gaze antes que ela comece a grudar muito na ferida em recuperação.

Se possível, procure retirá-lo com o pênis imerso numa banheira ou bacia de água morna: o curativo provavelmente vai estar ensopado de sangue, por isso o ideal é que seja deixado "de molho" por um tempo para não machucar a ferida durante sua remoção.

O pênis vai estar bem inchado e com um aspecto um pouco assustador, mas não se desanime. Isso é uma consequência normal tanto da anestesia local quanto dos cortes executados, e o aspecto tende a melhorar gradualmente no decorrer das primeiras semanas.

Depois que o curativo for retirado, faça a água suja de sangue escoar pelo ralo e encha novamente a banheira ou bacia com água morna (você pode adicionar um pouco de sal na água para auxiliar na regeneração da ferida). Deixe o pênis ficar de molho por mais alguns minutos (o suficiente para remover o sangue coagulado), seque-o aplicando toques suaves com uma gaze e faça um novo curativo. Passar uma leve camada de vaselina sólida ajuda a evitar que o sangue grude na pele dentro do novo curativo.

A utilização de água morna (com temperatura o mais próximo possível da temperatura do corpo) é muito importante para não prejudicar o processo de cicatrização.

Caso não se obedeça a esse cuidado, haverá um choque térmico e a interrupção do processo de mitose (duplicação natural das células). Isso implica uma demora de mais de meia hora para a área voltar à temperatura normal e pelo menos outras duas horas para a retomada da cicatrização!

A partir dessa primeira troca de curativo, o ideal é refazê-lo a cada dia (sempre procurando usar água morna, lavando e secando o pênis adequadamente) até completar pelo menos uma semana de pós-operatório. Dali em diante, pode ou não ser eventualmente usada uma leve gaze para continuar protegendo os pontos.

2. Cueca

Se você normalmente usa cuecas muito folgadas ou aquelas tipo "boxer", você vai sentir necessidade de mais suporte durante o período de recuperação pós-operatória.

Procure usar cuecas tipo "slip" ou mais justas: elas vão manter o pênis fixo numa posição e reduzir o atrito de contato que ele sofreria caso ficasse balançando livremente.

O ideal é manter o pênis fixo apontando para cima: isso vai fazer com que o sangue desça e evitar a persistência de inchaço na região do corte.

3. Ereções noturnas

Para reduzir o efeito das ereções noturnas (que puxam e forçam os pontos, principalmente durantes as primeiras noites), procure urinar antes de ir para a cama e mais algumas vezes durante a madrugada.

O ideal é não dormir de barriga para cima, e sim de lado - também pode ajudar ficar numa posição próxima à fetal, com os joelhos um pouco dobrados. Se nada disso funcionar, encha uma bolsa térmica (daquelas de borracha) com água gelada e mantênha-a em contato com o pênis.

Após a segunda ou terceira semanas (quando, normalmente, os pontos não estarão mais presentes), entretanto, as ereções são até benéficas, pois estimulam a elasticidade da pele e fazem com que a cicatrização ocorra numa circunferência mais ampla.

4. Pontos

Os pontos (suturas no vocabulário médico) devem ficar no lugar o bastante para que as bordas de pele cortada se unam entre si, mas não tempo demais (devem ser removidos antes que a pele em volta deles se regenere completamente).

Deixar os pontos por muito tempo aumenta o risco de que pequenas marcas e buracos (túneis de sutura) permaneçam indefinidamente na sua pele.

A maioria dos médicos hoje em dia usa pontos que se auto-dissolvem ("caem" sozinhos); mas, mesmo nesse caso, o ideal é que eles sejam removidos manualmente caso ainda não tenham se desfazido após aproximadamente 4 semanas.

Você pode ir ao seu médico para ele retirar os pontos ou você pode fazer isso por conta própria, desde que sejam tomados os seguintes cuidados:

  1. esterilize uma tesoura de pontas finas e uma pinça;
  2. lave bem suas mãos e seu pênis;
  3. cuidadosamente, corte com a tesoura um fio da sutura perto do nó e puxe-o para fora segurando o nó com a pinça (não se assuste se o local sangrar um pouco).

Prossiga da mesma maneira para os pontos remanescentes.

PARE caso as duas bordas que compõem a cicatriz comecem a se separar: isso é um sinal de que a cicatrização ainda não progrediu o suficiente. Em caso de dúvida, contate o médico que realizou sua cirurgia.

Se tudo estiver bem você pode remover todos os pontos, ou deixá-los por mais alguns dias caso se sinta mais confortável assim.

5. Inchaço

O inchaço pós-cirúrgico nada mais é do que um acúmulo de sangue, pois é através do fluxo sanguíneo que são transportados os nutrientes necessários para a cicatrização dos tecidos feridos durante a cirurgia.

Após a postectomia, normalmente o inchaço no pênis desaparece em duas ou três semanas. Mas não é tão incomum que ele persista por mais tempo, principalmente na região do corte, ou seja, logo abaixo da "cabeça" do pênis e envolvendo toda a circunferência da mesma (razão pela qual esse tipo de inchaço é informalmente chamado de "cachecol").

Em muitos casos o cachecol é quase imperceptível (principalmente quando se toma o cuidado de manter o pênis apontado para cima durante as primeiras semanas), mas em outros ele não só é bem evidente como ainda permanece mesmo depois de caídos os pontos, e em casos mais raros pode até perdurar por vários meses.

6. Sexo

Não tenha relações sexuais antes de pelo menos quatro semanas após a cirurgia, e depois desse período não se apresse em tê-las até que a recuperação esteja completa, ou seja, até que todo o inchaço tenha desaparecido.

Se você precisar "aliviar o sistema" durante o processo de recuperação, procure usar técnicas de masturbação que estimulam outras áreas que não sejam a glande e a região da cicatriz, como por exemplo apertar apenas o eixo do pênis. O uso do preservativo (camisinha) para proteger a cicatriz também é recomendado caso você sinta um impulso incontrolável de se masturbar.

Após a recuperação você está liberado para o sexo com penetração, mas a camisinha ainda é fundamental para evitar o atrito excessivo na cicatriz até que a mesma esteja completamente queratinizada (o que pode levar de dois a três meses). E, mesmo após esse período, o uso do preservativo continua sendo importante, pois é a única forma de prevenção contra doenças sexualmente transmissíveis (DST).

7. Outras atividades

É fortemente recomendável que você deixe de ir ao trabalho ou estudo nos primeiros dias após a postectomia.

Normalmente é dada uma semana de folga, mas, dependendo da evolução da cicatrização e do tipo de atividade desempenhada em seu dia-a-dia, pode ser necessário mais tempo para garantir uma melhor recuperação.

Evite natação, andar de bicicleta e praticar qualquer tipo de esporte de contato até que você esteja completamente recuperado da cirurgia.

Perguntas frequentes

A maioria dos médicos dá de 7 a 10 dias de atestado após a circuncisão. Mas, nos casos em que o paciente exerça um trabalho que envolva esforço físico mais intenso, esse tempo pode se estender até duas semanas.

Caso tenha sido aplicada apenas anestesia local, o paciente pode, na falta de outra opção, voltar para casa dirigindo. Entretanto, caso tenha sido aplicada anestesia total, é absolutamente proibido dirigir após o intervento.

Encha uma banheira ou bacia com água morna. Deixe o seu pênis ficar de molho por alguns minutos (não muito tempo, mas o suficiente para remover o sangue coagulado), e seque-o aplicando toques suaves com uma gaze. A utilização de água morna (com temperatura o mais próximo possível da própria temperatura interna do corpo humano) é importante para não prejudicar o processo de cicatrização.

Enrole o pênis com uma gaze e fixe-a com esparadrapo, sem apertar a glande. Passar uma leve camada de pomada de vaselina sólida no pênis reduz a possibilidade de o sangue grudar na pele dentro do curativo.

O ideal é não dormir de barriga para cima, e sim de lado - também pode ajudar ficar numa posição próxima à fetal, com os joelhos um pouco dobrados. Isso ajuda a reduzir o efeito das ereções noturnas, que puxam e forçam os pontos.

O processo de cicatrização da postectomia pode durar de duas a quatro semanas, dependendo da resposta do organismo de cada paciente. Até o final da cicatrização, esportes de contato e relações sexuais são proibidos.

Nas duas primeiras semanas após a cirurgia, é comum a utilização de pomada com efeito antibiótico (Nebacetin, entre outras). Após a primeira semana, já pode ser usada uma pomada que auxilie no processo de cicatrização (Kollagenase, entre outras). Ao final do primeiro mês, caso não se esteja satisfeito com a estética, existem pomadas cujo objetivo é melhorar o aspecto da cicatriz já formada (Contractubex, entre outras).

Normalmente o inchaço desaparece em duas ou três semanas. Mas em alguns casos ele pode persistir por mais tempo, principalmente na região do corte, ou seja, logo abaixo da cabeça do pênis e envolvendo toda a circunferência da mesma ("cachecol").

A recuperação total da postectomia normalmente ocorre após aproximadamente um mês. Entretanto, esse período de tempo pode ser um pouco mais longo caso ocorram complicações.

O cachecol, cujo nome técnico é linfedema, é uma complicação relativamente comum da postectomia. O tempo para que o mesmo suma pode variar muito de paciente para paciente, razão pela qual reavaliações subsequentes são fundamentais. Em alguns casos, uma nova cirurgia de correção pode ser necessária.